APRESENTAÇÃO

IMAGENS







_______________

notas biográficas


Notas biográficas:



Data nascimento: 11 de Julho de 1946 .
Natural da Freguesia de S. Salvador (nasci no antigo Hospital de Ílhavo), Concelho de Ílhavo.
Filho de João Adamastor da Silva e de Maria Adelaide da Rocha Vieira.


- Primeiros versos publicados no jornal “FAROL” do Liceu Nacional de Aveiro (hoje Escola Secundária José Estêvão), jornal de que fui director no ano lectivo de 1963/1964.

- Publicados os primeiros versos no jornal “O ILHAVENSE” em 20/02/1962 .

- Em 28/01/1965 forma publicados outros “poemas” na página “MADRUGADA” (dirigida pelo poeta aveirense João Barge) no jornal “LUTADOR” (Aveiro).

- Em Abril e Julho de 1965 Mário Castrim no seu suplemento “DIÁRIO DE LISBOA-JUVENIL” publicou dois ou três poemas meus (além das sua notas críticas).

- Em 04/11/1966 inscrição no Círculo de Artes Plásticas da Associação Académica de Coimbra (que frequentei durante cerca de um ano e onde adquiri alguns conhecimentos que me foram muito úteis para fazer em 1968 uma série de caricaturas para os livros de curso...).

- Em Abril de 1967 iniciei no jornal “O ILHAVENSE” (dirigido nessa época pelo meu ex-professor José Pereira Teles) a página “SOL NASCENTE” da qual foram publicados 5 números (20/Abril/1967; 1/Junho/1967; 1/Julho/1967;1/Agosto/1967;1/Setembro/1967). O 6º. Número que deveria ser publicado em 1/Outubro/1967 nunca chegou a receber a luz verde da Censura de Lisboa (como era uma página de jovens a Censura de Aveiro enviava para Lisboa). O próprio Professor José Pereira Teles escreveu-me uma carta (que ainda conservo), datada de 3/Outubro/1967, na qual afirmava entre outras coisas :
«A página continua estendida na mesa da anatomia , à espera que lhe
rezemos o De Profundis.
Remetida no dia 26 de Setembro, até hoje não veio autorização para a
publicar. (...) Aquele seu grito de revolta contra os inertes, contra tudo o
que não está bem, etc., deu no gôto a quem fiscaliza tudo o que se escreve.
(...).

- Nesta página “SOL NASCENTE” (que deve constar dos arquivos de “O ILHAVENSE”), que procurava ser um espaço para a colaboração da gente nova, colaboraram, entre outros: João Barge (poeta aveirense hoje Professor do Ensino secundário em Leiria); Lycínia Senos (ilhavense); Araújo Calçada;João tavares Barreto;José Alcides Faria Ramalheira). Pouca colaboração e pouco tempo para conseguirmos realizar alguma coisa em condições... ainda se conseguiu realizar um pequeno ciclo de palestras sobre o título genérico “A Literatura e o Homem” no antigo Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários de Ílhavo com a participação do João Barge e do Araújo Calçada (dias 11, 14, 16, 18 e 21 de Agosto de 1967) .

- Alguns poemas publicados na revista “CAPA E BATINA” (Coimbra) em 1967 com uma introdução do João Barge.

- Mais dois poemas publicados no jornal “GAZETA DO CENTRO” (Soure), na página “Confluência”, em 21/Abril/1968.
- 1967 – Fiz a música da marcha de Cimo de Vila com letra do meu Pai.
- Em 13/Janeiro/1968 cantei pela primeira vez (salvo erro) em público algumas das minhas cantigas no SARAU DO C.J.C. no Seminário de Aveiro

- Pertenci ao um grupo de Fados de Coimbra que esteve mais ou menos activo durante o ano de 1968 e parte de 1969 (com eles, além das habituais nessa época serenatas pelas ruas de Coimbra, cheguei a cantar numa das noites da festa da Vista-Alegre em 1969 – onde tivemos a companhia amável da GNR -, num espectáculo de variedades realizado em 25 de Julho de 1969 no Pavilhão do Illiabum Clube e antigo Café Beira Ria (que na altura se chamava Café e Salão de Festas ANA FILIPA), na Costa Nova, em 31 de Maio de 1969.

- De referir que o espectáculo de variedades de 25 de Julho de 1969 (de que falei anteriormente) foi realizado pela PRESENÇA COIMBRÃ (programa de rádio de Coimbra dirigido pelo velho amigo SANSÃO COELHO que ainda hoje faz parte da RDP Centro) de que eu era colaborador juntamente com outro amigo, o Jorge Cordeiro (que era um dos violas no grupo de fados). Para a organização do espectáculo conseguimos a colaboração do ILLIABUM e conseguimos reunir nessa noite o Manuel Freire (que esteve em Ílhavo pela primeira vez ...) e a Mirene Cardinalli, além do tal grupo de fados de Coimbra e dos nossos artistas ilhavenses Maria Manuela e Carlos da Branca, Vítor Menício, Guilhermino Ramalheira (filho), Duo Mistério e conjunto HusKá Ducítyo (o Vasco deve recordar-se quem compunha este conjunto...).

- Em Agosto de 1969 venci o 1º. Festival de Música Popular Portuguesa realizado no Casino da Figueira da Foz (aberto a malta nova que nunca tivesse gravado discos e apresentasse canções do tipo intervenção ou “baladas” como se dizia nessa época). Do júri faziam parte vários jornalistas entre os quais o Mário Castrim e a Alice Vieira.

- Em Novembro de 1969 foi editado o meu primeiro disco pela editora “RRdiscos” (do Francisco Nicholson, Armando Cortez e Eugénio Pepe) com o título “Canção para um povo triste” (que veio a ser apreendido pela PIDE).

- Em Dezembro de 1969 foi editado um single com uma canção minha (“Canção para um Natal”) e uma canção interpretada pela Rute (“O Natal dos simples” de José Afonso).

- Ainda em Dezembro de 1969 participei no programa “Riso e Ritmo” produzido pelo Francisco Nicholson e pelo Armando Cortez, na RTP que me pagou o “cachet” de 734$00 ... o programa que devia ser transmitido em 21 de Dezembro foi adiado uma semana porque a Mirene Cardinalli que também participou nas gravações faleceu (juntamente com o marido) num estúpido acidente de viação no dia 19 de Dezembro (estava para gravar um novo disco com canções minhas, umas das quais era “Para a construção da cidade necessária”).

- Em Janeiro de 1970 foi editado o meu segundo disco (pela mesma editora), com capa minha, e com o título “Para a construção da cidade necessária”).

- Em 25 de Abril de 1970 participei no 2º. Convívio MC, na Galeria Alvarez, no Porto, realizado pela revista Mundo da Canção.

- Em Março de 1970 a Ada de Castro incluiu num novo disco um fado com letra minha.

- Ainda em 1970 foi editado o meu terceiro disco (“Canto da hora chegada”).

- Em Janeiro de 1970 criei no “JORNAL DO CENTRO” (Pampilhosa do Botão) a página juvenil “ESPAÇO ABERTO” que coordenei até Dezembro de 1971. Po curiosidade vale a pena referir que publiquei poemas de alguns poetas jovens entre os quais o Eufrázio Filipe (que trabalhava nessa época na Repartição de Finanças de Ílhavo e foi mais tarde Presidente da Câmara do Seixal durante alguns anos.

- Em 1971 tornei-me colaborador efectivo da revista “Mundo da Canção” (MC).

- Em Setembro de 1971 a fadista Maria do Espírito Santo incluiu num disco seu o fado da minha autoria (letra e música) “Fado da minha revolta”.

- Em 1972, 1973 e 1974 organizei com a colaboração de muita gente jovem (ver notas em anexo) alguns espectáculos de variedades a favor da “Obra da Criança” (que esteve na base do CASCI e a cuja direcção pertenciam a Dra. Maria José Fonseca, e os Srs. José Celestino e Capitão José Vaz já falecidos). Aliás, sobre esta “Obra da Criança” escrevi um artigo mais ou menos extenso no “O ILHAVENSE” DE 10 de Dezembro de 1972.

- Em 1973 o Manuel Tenreiro e eu propusemos à direcção do Illiabum Clube a coordenação de um Boletim informativo não periódico a que chamaríamos Boletim do Illiabum Clube. A proposta foi aceite e foram editados, salvo erro, apenas 2 números policopiados e com a colaboração do Fernando José e do Zé Sacramento. Tudo acabou com a pressão da censura prévia imposta pela Direcção do Illiabum ... tivemos que desistir (mas escrevemos uma carta, de que tenho o texto, a dizer o que pensávamos...).

- Em Maio de 1972 o jornalista e escrito Viale Moutinho incluiu dois poemas meus na sua antologia “O NOSSO AMARGO CANCIONEIRO” . (Edições Latitude – Porto).

- Em Maio de 1974 fui chamado para Director da revista “Mundo da Canção” (desde 1972 que coordenava uma página de poesia aberta aos jovens leitores anteriormente criada por Viale Moutinho).

- De acordo com “O ILHAVENSE” de 20/Janeiro/1975 foram eleitos os novos corpos directivos do Illiabum Clube para o ano de 1975 sendo a Secção Cultural dirigida por mim e pelo Manuel Branco Vidal Ribeiro.
Durante esse ano de 1975 realizámos o seguinte:
1. - Edição do Boletim informativo “CONTRACANTO” (mensal).
2. – Em 16/Março – Abertura de exposição de recortes de jornais (desenho humorístico) sobre o pós-25 de Abril .
3. – Em 30/Março – Abertura de exposição de trabalhos (pintura, escultura, poesia, prosa, trabalhos manuais) realizados por crianças com menos de dez anos (em colaboração com todas as Escolas Primárias e o apoio do Director Escolar Prof. Rogério).
4. – Em 5/Abril – Trouxemos a Ílhavo o CITEC (Centro de Iniciação Teatral Ester de Carvalho) grupo de teatro de Montemor-o-Velho que fez 2 espectáculos no mesmo dia: de tarde, na sede do Illiabum, peças para crianças (com entrada livre); à noite, no Pavilhão do Illiabum a peça “A CURVA” de Tankred Dorst (com entradas a 10 escudos, tendo os sócios do Illiabum desconto de 50 %). Como nota importante devo dizer-te que o espectáculo da noite teve vinte espectadores (contando com os dois elementos da Secção Cultural e apenas dois da Direcção do Illiabum). O fiasco foi tão grande que a malta do CITEC fez-nos um desconto no montante das despesas (não vinham ganhar nada, apenas lhes pagaríamos as despesas de transporte) e o amigo Vítor Menício gerente da Albergaria Arimar onde o grupo jantou fez-nos um desconto de 50 %.
5. - Em 19/Abril – O Padre AUGUSTO NUNES PEREIRA de Coimbra veio pessoalmente à sede do Illiabum abrir uma exposição de aguarela e gravura de sua autoria e falou sobre “A gravura em madeira”
6. – Em 25/Abril – Exposição de recortes de jornais, revistas e cartazes editados pelo MFA para assinalar o 25 de Abril.
7. – Em 1/Maio – à tarde e à noite: 1º. ENCONTRO DA CANÇÃO POPULAR. Com a colaboração da revista MC e a participação (além dos concorrentes que eram, de facto, apenas participantes porque só havia prémios de presença) de DANIEL, JOSÈ CID e PREÂMBULO Q. Tivemos ainda o apoio do conjunto aveirense Nova Dimensão, das firmas Tonelux (Aveiro), Arimar (Ílhavo), Orga Publicitária (Ílhavo), programa sonoro ilhavense ORBITRAL 2S, o Eng. João Senos da Fonseca, a Direcção do Illiabum e a empresa proprietária do Atlântico Cine-Teatro.
8. – Em 12/Maio – exposição de recortes sobre “Mulher, Educação, Criança, Saúde”.
9. – Em 24/Maio – exposição ao ar livre, no largo junto ao Jardim Municipal, de esculturas de FERNANDO JOSÉ.
10. – Em contacto com a Comissão Coordenadora do Serviço Cívico Estudantil conseguimos que fossem destacados para a Secção Cultural cinco estudantes candidatos ao primeiro ano da Universidade: Vasco Manuel B.G. Bilelo, Rui Manuel Lé Coelho Moura, Maria Edite P. Lança Pereira, José Júlio S. Barreto, Isabel Maria da Cruz Trindade. Foi com esta equipa que estivemos nos fins-de-semana de 8 de Agosto a 30 de Setembro a procurar realizar um inquérito de saúde aos habitantes do Bairro de Pescadores da Costa-Nova.
11. – Dezembro – exposição dos trabalhos de poesia enviados para o 1º ENCONTRO DE POESIA EM ÍLHAVO.(que incluiu 4 poemas do nosso amigo VIRIATO TELES).
12. – Adquirimos durante este ano de 1975 directamente às editoras um conjunto razoável de livros para a biblioteca que não sei se ainda andarão por lá.


- Em Abril de 1975 foi editado o meu disco “Os lobos: eles estão aí” pela Valentim de Carvalho (com arranjos do José Cid e capa da minha autoria).
- Em Abril de 1976 Viale Moutinho edita o Livro “MEMÓRIA DO CANTO LIVRE EM PORTUGAL” incluindo duas ou três canções minhas.
- Colaborei na organização do 1º. Festival de canto Livre Amador em Coimbra (oficialmente organizado pela U.J.C.) de cujo júri fiz parte (com a Edite, os poetas Joaquim Namorado e Fernando Sylvan, o Mário Correia, entre outros) e de foram justos vencedores os nossos amigos Artur Ramisote e Geraldo Alves.
- Em Setembro de 1976 participei na 1ª. Festa do Avante.
- Em Outubro de 1976 obtive o 2º. e o 3º. Lugares no IV Festival da Canção do Illiabum Clube (o Ramisote e o Geraldo venceram o Festival com a canção “Ana Vida” em cujo coro colaborei).
- Dezembro de 1976 – colaborei ainda na realização do 2º. Encontro da Canção Popular em Ílhavo (penso que já com o Viriato Teles). Convenci o José Cid a trazer o conjunto e apresentar ao vivo o novo Lp que tinham lançado na época. (vê “O ILHAVENSE” de 15/12/76).
- Fiz parte da lista de candidatos à Câmara Municipal de Ílhavo nas primeiras eleições autárquicas em 1976 pela FEPU (vale a pena rever essas listas para veres como tudo muda...).
- Abril de1977 – lançamento na FIL do meu último disco “A SUDOESTE” (com arranjos do José Cid e capa minha) editado pela Valentim de Carvalho.
- Setembro de 1977 – Participação na 2ª. Festa do Avante.
- Em 1979 (?) fui cabeça de lista pela APU nas eleições autárquicas em Penela.
- Em 11 de Agosto de 1982 – participei no programa da RTP Porto “Cantos e Contos de Coimbra”.
- Em 8 de Setembro de 1982 – participei em mais uma edição do programa “Cantos e Contos de Coimbra” – RTP Porto.
- Em 1982 fui de novo cabeça de lista pela APU nas eleições autárquicas em Penela.
- Em 1989 fiz o tema musical para a peça teatral “Longa marcha para o esquecimento” apresentada pelo CETA com texto de Jaime Gralheiro e encenação de José Carretas.
- Junho de 1998 – Recebi o “Leme da Música” entregue pela associação “Os Ílhavos”.
























n

__ visitas: 120962